Opções online para ampliar conhecimento e fortalecimento das mulheres

Foto por: Chris Montgomery – Unsplash
Ainda é possível aproveitar o mês de março com programações virtuais gratuitas especiais com história, troca de experiências e empoderamento feminino. Há palestras, cursos e debates sobre carreira, saúde, política, qualidade de vida e cultura, confira:

Ciclo de debates “Por um feminismo para os 99%”

A Boitempo promove o ciclo de debates internacional. A programação foi inspirada pelo manifesto Feminismo para os 99%, escrito por Cinzia Arruzza, Tithi Bhattacharya e Nancy Fraser, e publicado pela Boitempo em 2019. Chamando atenção para as mulheres da classe trabalhadora, o objetivo é discutir as premissas de um feminismo incondicionalmente internacionalista e anticapitalista, que cerre fileiras com os movimentos antirracistas, ambientalistas e pelos direitos de trabalhadores e de imigrantes. Com a presença de 24 pensadoras e ativistas de cinco nacionalidades diferentes durante o mês de março.

Por um feminismo para os 99%

24 de março – 14h – Debate Feminismo, corpos e territórios, com Judith Butler e Preta Ferreira, mediação de Flávia Biroli

*Judith Butler é professora Maxine Elliot dos Departamentos de Retórica e de Literatura Comparada, além de codiretora do Programa de Teoria Crítica, da University of California, em Berkeley. É membro do conselho consultivo da organização Jewish Voice for Peace e faz parte do quadro executivo da Faculty for Israeli-Palestinian Peace, nos Estados Unidos, e do centro cultural The Freedom Theatre, no campo de refugiados de Jenin, na Palestina. Tornou-se referência nos estudos queer e tem diversos livros publicados no Brasil. Pela Boitempo, publicou Caminhos divergentes: judaicidade e crítica do sionismo (2017) e A força da não-violência (previsto para 2021).

*Preta Ferreira formou-se publicitária em 2012 e passou a atuar no universo da cultura, do qual até hoje faz parte. É produtora de filmes, shows e eventos; apresentadora do boletim web Lula Livre; atriz; cantora… enfim, uma multiartista. Atualmente também tem dado palestras e participado de eventos sobre racismo, feminismo, preconceitos, justiça social, abolicionismo e questões de moradia. Em 2020, publicou Minha carne: diário de uma prisão pela Boitempo.

*Flávia Biroli é doutora em História pela Unicamp. É professora associada do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília e pesquisadora do CNPq. Foi presidenta da Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP, 2018-2020). Fez parte do Grupo de Assessoras da Sociedade Civil da ONU Mulheres (2016-2017) e dos Grupo de Especialistas da Commission on the Status of Women (CSW, ONU) em 2019 e 2020. Foi editora da Revista Brasileira de Ciência Política (2009-2017) e editora-associada da revista Politics & Gender (2018-2019). É autora, entre outros, de Feminismo e política (escrito com Luis Felipe Miguel, Boitempo, 2014), Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil (Boitempo, 2018), Gênero, neoconservadorismo e democracia (com Maria das Dores Campos Machado e Juan Vaggione, Boitempo, 2020).

31 de março – 14h – Debate Interseccionalidade, com Patricia Hill Collins e Sirma Bilge, mediação de Lana de Holanda (@transcomunista)

*Patricia Hill Collins é professora emérita do departamento de sociologia da Universidade de Maryland. Foi a primeira mulher negra a presidir a Associação Americana de Sociologia. É considerada, ao lado de Angela Davis e bell hooks, uma das mais influentes pesquisadoras do feminismo negro nos Estados Unidos. Pela Boitempo, publicou Pensamento feminista negro (2019) e Interseccionalidade (escrito com Sirma Bilge, 2021).

Sirma Bilge é professora catedrática no departamento de sociologia da Universidade de Montréal, onde leciona cursos de graduação e pós-graduação sobre gênero e sexualidade, racismo, nacionalismo e relações étnicas, abordagens pós-coloniais e descoloniais. Pela Boitempo, publicou Interseccionalidade (escrito com Patricia Hill Collins, 2021).

*Lana de Holanda, mulher trans/travesti [usa os dois termos], feminista e ecossocialista. Comunicadora e mobilizadora digital, educadora popular, ex-assessora de Marielle Franco e colunista no portal Lado B do Rio.

Todas as atividades são gratuitas e sem necessidade de inscrição prévia, com transmissões pela TV Boitempo

A mulher negra do século XXI: uma perspectiva sociológica e jurídica sobre as executivas no mercado trabalho

29 de março de 2021 – 12 horas

O blog Cidadania1000 entrevista a socióloga e mestre em administração Gabriela Santos (Graduada no curso de Letras – Português/Francês pela Universidade Federal do Rio Grande. Atuou como bolsista da CAPES pelo PIBID Francês FURG. Trabalha como monitora de alunos especiais em escolas da rede estadual de ensino no estado do Rio Grande do Sul.. Representante na delegação do Rio Grande do Sul na IV Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial. Cursando a especialização de Língua, Literatura e Ensino. Teoria e Prática). Link da live: https://youtu.be/T_dvlXxG_VA  

Oficina turbante e mulheres

30 de março – 19 horas e 31 de março 21 horas

Com Gabriela Costa (Mestre pela FGV, socióloga pela USP/SP, que analisou dados da desigualdade de raça e gênero, além de quais são as inovações e novas perspectivas para a mulher negra.)

Programação: 

1º dia – 30/03 – 19 hs – Turbante e história – Conhecer a história do turbante. Representatividade e Empoderamento. Educação antirracista.

2º dia :31/03 – 19hs – Formação de docentes – Oficina para formação de docentes. As temáticas envolvidas. Metodologia  e Resultados Esperados.

Inscrições abertas e mais informações: Grupo de Pesquisa e Estudo Interdisciplinar Lélia Gonzalez (Facebook, Instagram, e-mail: [email protected])

Não sou mulher maravilha: uma conversa sobre produtividade/stress da mulher no ambiente de trabalho

31 de março – 19 horas

Encontro com debate sobre o período da pandemia para as mulheres no ambiente de trabalho. Abordagem em vários aspectos: psicológico, físico e de ambiente, trazendo dicas de como melhor lidar com o contexto atual. Com as convidadas: Michele Intrator (Mestre em Psicologia e Coach, especialista em Transtornos Alimentares), Nutri Carol Borba (Nutricionista Funcional Ortomolecular e Fitoterapica), Carolina Cavalcante (Arquiteta e Designer de Interiores) e a mediadora Débora Yuan (diretora da Cadarn Consultoria e da Nohau Escola).

Inscrições: https://bit.ly/3d0VKfj ou https://bit.ly/3vVRg29

Literatura preta feminina em atividades pró-leitura (Profª Daniela Rangel)

Card divulgação
01 de abril de 2021, das 19h até 21h30

Oficinas de História 1° semestre 2021 – Instituto Pretos Novos

Com a Profa. Ms. Daniela Rangel – Mestra em Ciência da Informação pelo PPGCI IBICT/UFRJ e Bacharel em Biblioteconomia pela UNIRIO. Fundadora do Clube de Leitura e da Poesia Terapia, ambos da Biblioteca Pretos Novos – IPN. Oficina com as experiências das atividades pró-leitura do IPN como recorte as escritoras pretas. Na primeira parte serão apresentadas as escritoras Carolina de Jesus, Conceição Evaristo e Maria Firmina dos Reis e a suas importâncias no contexto da representatividade cultural afrocêntrica. A segunda parte será exposto o fazer envolvido com atividades pró-leitura e a imersão conclusiva com o recorte exemplificado da atividade. No final há certificado. Via aplicativo Zoom, duração de duas horas cada oficina e para participar. Inscrições Sympla https://bit.ly/3sjeflj

Dramaturgia para mulheres

1 de abril até quatro de abril de 2021, das 19h até 22h Como parte do Ocupa FETEG, da Federação de Teatro de Goiás (FETEG), de ações educativas virtuais, o curso ministrado por Cristiane Leal, tem duração de 10 horas, durante quatro dias. A oficina é uma proposta de reflexão sobre teoria da dramaturgia, com atividades de leitura análise de textos dramatúrgicos escritos por mulheres. Inscrições Sympla: https://bit.ly/2NR2CmU

Leia também:

Curso “As Pensadoras Negras” destaca produção de mulheres negras

Escola de formação intelectual feminista dá voz a mulheres invisíveis