Seminário aborda a construção da identidade travesti no Brasil

Formação online acontece entre os dias 2, 3 e 4 de julho e terá parte da renda revertida para organizações de luta pelas vidas trans e travestis

Atire a primeira pedra aquela pessoa cisgênera (que se identifica com o seu gênero atribuído ao nascimento) que nunca teve uma dúvida sobre transexualidade e imediatamente pensou em recorrer àquela pessoa transgênero que conhece, as vezes só da internet para que ela esclarecesse tudo o que era de sua curiosidade. Agora, todas as pessoas cis aliadas à causa, têm a oportunidade de remunerar pessoas transgêneros e travestis, que há muito tempo trabalham e pesquisam na produção de conhecimento, por meio de um seminário online Saberes Transviados, que acontece nos dias 2, 3 e 4 de julho.

O Seminário Saberes Transviados, organizado por Giulianna Nonato e por Lam Matos, é uma iniciativa que reúne corpos dissidentes de gênero e sexualidade em um espaço encruzilhado, de encontro e troca, a partir do qual muitos caminhos são possíveis. O tema desta primeira edição é “a construção da identidade travesti no Brasil”, e vai contar com convidadas como Magô Tonhon, Letícia Carolina Nascimento, Carolina Iara e Amanda Palha, que falarão a partir de cinco eixos:

● Sodomia: dissidências sexuais e de gênero no Brasil Colônia

● Travestis negras e a origem racial da identidade travesti

● ENTLAIDS: epidemia de AIDS, estigmas do HIV e a institucionalização do

movimento de travestis e transexuais

● Identidade na política ou política identitária? Usos políticos da identidade travesti

● Pajubá, peito e pau: linguagem, corporeidade e travestilidade ontem e hoje

“Desejamos suprir a urgente demanda por trabalho remunerado, especialmente de pessoas trans e travestis cujo ofício é a palavra: pessoas professoras, escritoras, pesquisadoras de diversas áreas, e intelectuais orgânicas de dentro ou de fora da academia e militantes do movimento social”, explicou Giulianna. “Também almejamos arrecadar grana para organizações que atuam diretamente na garantia de direitos e suprindo demandas urgentes de sobrevivência das populações mais vulneráveis neste contexto pandêmico, como a de travestis e pessoas trans”, completou.

Toda a renda do curso visa garantir a devida remuneração de todas as pessoas que constroem o evento, bem como uma doação para organizações de luta pelas vidas trans e travestis. “Para tanto será importante conseguir projeção nas redes sociais com ajuda de pessoas parceiras que divulguem nossa iniciativa”, completou Giulliana.

O Seminário acontece dias 02, 03 e 04 de Julho, sexta, sábado e domingo, das 17h às 21h. A organização do evento segue em busca de parcerias e outras informações podem ser obtidos por meio do e-mail [email protected] ou do perfil de Giulianna no Instagram, @travagiu.

Leia também: Orgulho LGBTQIA+: “Resistência é a maior de todas as nossas qualidades”

Mapa LGBTI + identifica e ajuda a combater estabelecimentos LGBTIfóbicos